História

Foi por iniciativa dos sócios do Clube Recreativo Freamundense, a organização e a fundação da Associação e Corporação dos Bombeiros Voluntários de Freamunde. Assim, foi em 25 de outubro de 1928, no salão da Associacão de Socorros Freamundense que se reuniram os habitantes de Freamunde em Assembleia e com o próposito de elegerem a "Grande Comissão Organizadora da Associação e da Corporação”. Esta Assembleia serviu, também, para se elegerem os membros da mesa da Assembleia, que passou a constituir-se pelos seguintes cidadãos: P.º Florêncio Pino de Vasconcelos, como Presidente, Adolfo Ferreira Leão de Moura e Leopoldo Pontes Saraiva, como secretários. Saliente-se como 1º ato de angariação de fundos e como 1ª deliberação da assembleia, a colocação de “caixinha” ns diversos estabelecimentos comerciais existentes na época. A partir daí, muitas outras iniciarivas se efetuaram, onde, salientamos os espectáculos dramaturgos, onde se sorteavam quadros do Pintor Santa Marta, os saraus líricos - musicais, a Festa da Flor que se realizava no dia 13 de Dezembro e os sorteios que eram promovidos de senhoras de Freamunde, presidido pela Srª D.ª Maria das Dores Alves da Cruz. A 10 de Novembro de 1925 é eleita a 1ª Direcção executiva, que era constituída por cinco elementos e presidida pelo Sr. Dr. Alberto Carneiro Alves da Cruz. Em 9 de Abril de 1929, a “Grande Comissão”, como era então denominada, aprova os estatutos da Associação, que viriam a ser aprovados pelo Exmº Senhor Governador do Distrito do Porto, em 28 de Janeiro de 1930. No entanto, refira-se como data oficial da fundação da Associação o dia 12 de Julho de 1930. A 7 de Fevereiro de 1930 são, em Assembleia-geral, presidida pelo Sr. P.º Florêncio Pinto de Vasconcelos, eleitos os órgãos sociais da Associação. Assim, e de acordo com os estatutos, então aprovados foram legalmente eleitos, como 1ºs dirigentes, os seguintes sócios e para os seguintes cargos: Assembleia Geral: Presidente-Dr. Alberto Carneiro Alves da Cruz, 1º Secretário-Adolfo Ferreira Leão de Moura, 2º Secretário – Alfredo da Silva Cabral. Direção: Presidente – Tenente Carlos Luciano Alves de Sousa, Vice- Presidente – António José de Brito, Tesoureiro - António Joaquim Gomes da Costa Torres, lº Secretário-Joaquim Pinto Pereira Gomes, 2º Secretário – Leopoldo Pontes Saraiva, Vogais – Armando nunes de Oliveira e Adriano Pinto Martins Leitão. É, então “inaugurado”, a 15 de outubro de 1930, o 1º quartel da Associação, que se situou no lugar de S. Francisco, em instalações (garagem e um terça parte da casa anexa) cedidas, gratuitamente, e com a ressalva de a sua utilização ser de forma temporária, pela Srª. Dª elvira Lopes Monteiro. Adquire-se o 1º carro, pela quantia de 8.000$00. É de marca Lancia, e entra para o ativo no dia 1 de Novembro de 1930. Se a organização administrativa se solucionou em reduzido espaço de tempo, já a organização do Corpo Ativo se apresentou de forma morosa, levando a que a Assembleia-geral, que se efetuou em 17 de Outubro de 1930, tomasse a seguinte resolução “que ficassem um médico, o Presidente e o tesoureiro da Direção, de harmonia com o parágrafo único do artigo 5º dos Estatutos, constituindo o Conselho de incorporação e ao mesmo tempo os dois últimos, provisoriamente, com as atribuição de Comando”. E assim se justifica o porquê de só em 2 de Novembro de 1947 tenha sido homologado, pela Inspeção Distrital de Bombeiros do Porto o 1º Comandante da Corporação - António José de Brito. E porque a cedência do espaço para o Quartel foi efetuada de forma temporária, passou, a partir de 13 de Julho de 1933, o mesmo para ainstalações que foram alugadas ao Sr. Serafim Pacheco Vieira pela quantia de 500$00 por mês, e que se situava na rua do comércio. E foi desse local que se transferiram, mais uma, os Bombeiros de Freamunde. Só que desta feita havia de ser para as instalações próprias. Assim, registe-se a data de 4 de Setembro de 1977 como a data em que é, oficialmente, inaugurado o Quartel da Associação de Bombeiros Voluntários de Freamunde. Para a sua construção salienta-se o nome do Sr. Dr. Jaime Manuel Nogueira de Barros, como Presidente da Direção e grande impulsionador de tão importante feito para a Associação. N entanto, e com o desenvolvimento natural da Associação, viriam, as instalações a tornar-se insuficientes para albergar o número de viaturas e equipamentos existentes para o bom funcionamento e bom desempenho do Corpo Ativo. Assim, e sob a presidência de António Rogério Gomes Pereira, é o quartel ampliado em 1994. No mês de Outubro de 1985 é definida a área de atuação do Corpo. Dividindo-se o concelho de Paço de Ferreira em duas zonas. A partir de então, passam a fazer parte da área de atuação dos Bombeiros Voluntários de Freamunde, cerca de 36.00 km2 repartidos pelas seguintes freguesias: Codessos, Eiriz, Figueiró, Lamoso, Raimonda, Sanfins, Freamunde, norte de Ferreira (até ao cruzamento de Ferreiró) e Funtão, S.Roque, Igreja, Bande, e S. Domingos (até à Fábrica de Alves e Leite) da Freguesia de Carvalhosa. No entanto, e dado o desenvolvimento natural a que o Concelho foi presente, em 24 de Janeiro de 2004 e em reunião de comandantes da Corporação de Bombeiros de Freamunde e Paços de Ferreira, foram novamente resistas as áreas de intervenção e reajustadas ao interesse das populações. Atualmente, na área de intervenção dos Bombeiros Voluntários de Freamunde residem cerca de 27.000 pessoas que se encontram alojadas em cerca de 9.000 fogos. Proliferam várias centenas de pequenas e média empresas, ligadas, na sua grande maioria, ao setor do móvel e têxtil. A juntar a tudo isto, é também função dos Bombeiros, em parceria de outras entidades, a proteção de toda a área florestal e agrícola inserida na zona. O Corpo de Bombeiros Voluntários de Freamunde é hoje composto por cerca de 150 elementos, comandos por António Joaquim Mendonça Pinto, que para além do efetivo humano conta ainda com cerca de 25 viaturas e outro material, quer individual quer coletivo, par socorro a pessoas e bens. Durante estes longos anos, vários foram aqueles que envergando a farda do voluntário, trocando horas de lazer e convívio familiar, para de forma abnegada e desinteressadas e levando consigo um único lema “Vida por Vida”, servirem o seu semelhante. Assim, e porque a esses homens se deve todo o nosso reconhecimento, entendeu a Direção da Associação, mandar erigir um “Monumento ao Bombeiro”. O monumento, da autoria de Manuel Pereira da Silva, é inaugurado a 13 de Julho de 202 e serve de arranjo urbanístico de uma das rotundas da cidade. Foi com grane determinação e empenho que a Direção da Associação se propôs à realização da construção de um novo Quartel, pois o atual não é, de todo, satisfatório para as atuais exigências de uma sociedade cada vez mais complexa e evolutiva, no entanto, após aprovação do terreno para a construção, pela Autoridade Nacional de bombeiros e aprovação do projeto verificou-se a impossibilidade de candidatura a financiamento. Assim, já com José António Santos ao leme dos desígnios da Associação e com a imprescindível colaboração do Comandante Mendonça Pinto, em 27 de Fevereiro de 2012, a Associação assina contrato de financiamento para a ampliação e renovação do quartel-sede. A 3 de Julho de 2005 a Associação comemorou os seus 75 anos de vida. Ato que foi assinalado com o lançamento da 1ª pedra do novo Quartel e da bênção de uma viatura autoescada. Na efemeridade, esta Associação recebeu a medalha “grau ouro” de altruísmo e mérito atribuída pela Câmara Municipal de Paços de Ferreira, medalha de “grau de ouro” por serviços distintos da Liga dos bombeiros Portugueses, assim como a medalha “grau prata” da Federação dos Bombeiros do distrito do Porto. Com o desígnio de fomentar o gosto pela atividade de “Bombeiro Voluntário” e sob o impulsos do comandante Mendonça Pinto, a direção e comando, perspetivando a continuidade da renovação do Corpo de Bombeiros, decidiu em 2007 criar uma equipa de manobras masculina e outra feminina, categoria de cadetes. Em 30 de Maio de 2010, o Concurso Nacional de Manobras é realizado em Lisboa no Estádio 1º Maio e a equipa feminina, sagra-se bicampeã nacional, conseguindo a proeza de ser a representante de Portugal no Europeu da referida prova e a realizar em 2011 na Eslovénia. Em 2013 e após ter-se sagrado tetracampeã nacional, a equipa feminina volta a representar Portugal no Europeu de França. A Associação conta atualmente com cerca de 3.200 sócios.